"Se abandonar a ingenuidade e os preconceitos do senso comum for útil; se não se deixar guiar pela submissão às idéias dominantes e aos poderes estabelecidos for útil; se buscar compreender a significação do mundo, da cultura, da história for útil; se conhecer o sentido das criações humanas nas artes, nas ciencias e na política for útil; se dar a cada um de nós e à nossa sociedade os meios para serem conscientes de sí e de suas ações numa prática que deseja a liberdade e a felicidade para todos for útil, então podemos dizer que a Filosofia é o mais útil de todos os saberes de que os seres humanos são capazes." Marilena Chaui

"Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender e, se podem aprender a odiar podem ser ensinadas a amar". Nelson Mandela

"É preciso atrair violentamente a atenção para o presente do modo como ele é, se se quer transformá-lo. Pessimismo da inteligência, otimismo da vontade". Antonio Gramsci

sábado, 30 de julho de 2011

Atenção para ligação de diretores sobre a greve

Os diretores estão ligando para os professores em greve, sob orientação do Risolia, para perguntar se voltaremos a dar aulas. Fui informado : "caso você não volte precisamos tomar atitudes quanto à contratação ou outra medida similar para reposição de aulas".

Resposta: Não voltaremos!!!! A greve continua até sua suspensão em assembléia.

Preparem-se colegas, o governo vem com tudo.

Não enfraqueçam quando receberem o telefonema.

Reafirmem a força da greve!


*post da Comunidade Orkut.

COMENTÁRIO: Na nova lógica mercadológica da escola pública, as figuras se redefinem:

DIRETOR = GERENTE
PROFESSOR = OPERÁRIO
ALUNO = MERCADORIA. 

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova irá completar 80 anos.



Comentário: Quase oitenta anos depois do Manifesto dos Educadores da Educação Nova ter indicado quais eram as raízes do problema da educação brasileira, ainda conseguimos identificar as mesmas mazelas da década de 30 presentes nos dias atuais. Enquanto a sociedade priorizar a formação de mão de obra para o trabalho servil, não haverá uma escola pública de qualidade que dê condições igualitárias a pobres e ricos. Dos alunos filhos dos trabalhadores é roubado o direito de acesso ao conhecimento elaborado, que dá ao homem condições de romper com o senso comum, dando a esse a possibilidade de crescimento intelectual. Por esse motivo é que o governo está tão preocupado com a implantação de escolas técnicas e não com o crescimento da escola acadêmica, pois o mercado solicita mão de obra técnica, que não pensa, que apenas reproduz as ordens da classe dominante e faz crescer o seus meios de produção. Também por isso a educação pública básica está em decadência, oferecendo ao aluno apenas rudimentos dos conhecimentos necessários para seu pleno desenvolvimento (percebe alguma semelhança com o currículo mínimo implantado pela SEEDUC RJ?). Por isso hoje, nós professores temos que lutar por uma melhoria no atual quadro da educação, pois o que "eles" querem é nos sufocar e subtrair de nós a consciência crítica dessa realidade podre.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Panfletagem da Rede Estadual, amanhã, 28/07 às 10h, na Praça Porto Rocha

 

Os profissionais da Educação da Rede Estadual farão amanhã, 28/07, às 10h, panfletagem na Praça Porto Rocha.
Lembramos a tod@s que não estamos de recesso, na rede estadual, ESTAMOS DE GREVE.

Vejam o que diz a coordenadora do SEPE, profª Maria Beatriz Lugão:

"A greve dos professores completa mais de 50 dias. E, hoje, dia 27 os conselheiros do Sindicato se reuniram na Associação Brasileira de Imprensa (ABI) no centro da cidade, para discutir possíveis avanços nas negociações com o governo, e sobre o acampamento montado na Secretaria de Educação do Estado. "Ficamos até o dia 3 de agosto. Não desistiremos até termos o reajuste da categoria",

Vamos tod@s à praça denunciar esse governo que pune professor e despreza a educação desse estado!
 
Fonte: Blog Pó de Giz 

terça-feira, 26 de julho de 2011

Arnaldo Jabor - Análise da Educação Brasileira



Nesses vídeos Armaldo Jabor relata os verdadeiros motivos da educação brasileira estar sucateada. Vale a pena assistir.

Greve completa 50 dias. Recuar Jamais!

 
Se você está inseguro(a) e está pensando em deixar a greve e voltar para a sala de aula, pense no quanto você vai decepcionar a todos que estão nos apoiando nesta luta. O vídeo abaixo é um exemplo da opinião que a população tem do nosso movimento. Não estamos só!

Hoje, greve dos profissionais de educação da rede estadual do Rio de Janeiro, completa 50 dias. É um momento histórico, motivo de orgulho e satisfação, pois demonstra a união, aforça e a garra da categoria, por isso temos a obrigação moral de continuarmos lutando, pois há muito tempo o estado do Rio de Janeiro não via uma demonstração de força e coragem da categoria dessa magnitude.

Fiquem atentos, pois o Estado está no limite e vai fazer de tudo para derrubar o nosso movimento, mas não se preocupem com as manobras palacianas, o objetivo delas é aterrorizar e nos desmobilizar, pois o desespero é grande diante da nossa coragem e determinação. Não interpretem erroneamente estas ações, porque elas são um sinal da nossa força e significam a impotência do poder público diante do nosso movimento.

Está em curso mais uma maquiavélica manobra, ontem o Estado entrou com um recurso para decretar a ilegalidade da greve e anular o impedimento do corte de ponto, entretanto não temam, mesmo que a justiça venha a considerar a nossa greve ilegal e autorize o corte de ponto, na prática ele não poderá ser aplicado, pois se o fizer não haverá reposição desses 50 dias de paralisação e o ano letivo estará perdido, entretanto o governo estadual não pode deixar isso acontecer, pois cabe ao Estado garantir os 200 dias letivos determinados pela LDB. Ou seja, regionalmente pode ser legal, mas no âmbito federal é ilegal e consequentemente a Constituição nos protege, deixando o poder estadual de mãos atadas.

Atenção, pois essa é uma manobra clássica de prefeitos e governadores diante de greves de funcionários da educação, mas até hoje todos os que a utilizaram tiveram que retroceder e anular o corte em função da sua ilegalidade, isso só funciona para intimidar, não se esqueçam que somos a única categoria profissional que repõem os dias parados.
Se houver o corte de ponto e consequentemente a não reposição das aulas, a responsabilidade será do Estado, e esse é um custo político que nenhum governador pode bancar. A nossa situação particular têm mais um elemento que torna impraticável a concretização de uma ação desse tipo, o Plano de Metas. Carro chefe do atual governo na área de educação, esse projeto foi apresentado à sociedade fluminense como a salvação da educação estadual lastreado na promessa da melhoria no IDEB, logo se o ano letivo for perdido, ficará patente para a população que o governo fracassou e isso é algo que por força dos interesses políticos que estão em jogo, não pode acontecer de jeito nenhum.

O que está em jogo, e realmente tem o poder de afetar os poderosos, é o marketing pessoal e o futuro político de todos os envolvidos na administração pública estadual nesse momento. Nenhum pai e nenhuma mãe jamais vão esquecer que o filho foi reprovado pelo governador X e consequentemente o voto, que é o que importa para esses senhores, não virá. Logo o corte de ponto é mais um blefe do poder público.


Temos que nos manter firmes e ignorar o terrorismo, pois toda essa pressão é uma demonstração do desespero de quem está acuado. A nossa luta está tendo sucesso e as nossas posições estão consolidadas, só depende de nós mantermos a mobilização por mais um tempo para assegurarmos a vitória final, por isso tenham coragem e resistam às pressões.

O terceiro bimestre está para começar, e esse é um momento vital para o governo, se a greve se manter por mais 15 dias e não houver negociações o ano letivo estará perdido e o Plano de Metas, em função do esquema de avaliações do "Saerjinho" vai desabar, por isso a pressão será total, pois agora é tudo ou nada para o Estado.

Vamos nos manter firmes porque a vitória está a um passo, não deixe que o medo e a insegurança nos levem à derrota, não deixem que as emoções atrapalhem a análise dos fatos, na greve é preciso agir friamente e ser racional.

Se analisarmos as medidas tomadas pela Seeduc, veremos que as mesmas são estratégias de intimidação e demonstram o desespero que se instalou no bunker da Rua da Ajuda, literalmente em estado de sítio pelo nosso acampamento. Abaixo listamos algumas das manobras que foram tentadas e que corroboram a tese de que estamos realmente em vantagem:
  • Demora nas negociações: esse recurso é uma tentativa do governo demonstrar força e tentar vencer pelo cansaço, fica cozinhando a categoria em fogo brando, adiando e protelando as decisões, o objetivo e desmobilizar os grevistas, entretanto não estamos caindo nessa armadilha, pois a nossa greve já está com 50 dias e se preciso for estamos dispostos a mantê-la até 2014! O que é lógico, se o governo pode parcelar um direito- o Nova Escola - até lá, nós também temos o direito de voltar a trabalhar só quando recebermos o que de direito.
  • Desqualificação do inimigo: a tese de que apenas 2% da categoria aderiu à greve, já notaram que à medida que o movimento ganha força, o governo progressivamente vai diminuindo o percentual? Agora estão dizendo que apenas 542 docentes (não eram 2%?), o que é risível e a população deve estar convencida que o secretário e o seu staff precisam urgentemente de aulas de reforço de matemática e de uma consulta ao oftalmologista, pois o que a mídia, mesmo contra a vontade, tem demonstrado é que as passeatas, atos e assembleias desmentem cabalmente os números apresentados pela Seeduc.
  • Satanização do inimigo: tentativa de colocar a população contra os professores alegando que os alunos estão sendo prejudicados pela greve, mais um tiro que saiu pela culatra, pois a população e os alunos sabem que não depende de nós o fim da greve, é o governador que se recusa a atender as nossas reivindicações e mostra para todos o quanto se preocupa com a educação dos filhos e filhas das camadas mais pobres da população.
  • Assédio moral: diretores e diretoras movidos a polpudas gratificações, são colocados no papel de capitães do mato para coagir os docentes através de ameaças infundadas através de e-mails e telefonemas, tudo isso foi por água abaixo, pois estão lidando com indivíduos que têm conhecimentos e sabem muito bem, ao contrário dos paus-mandados que executam essas ordens, que todos essas ameaças não têm fundamento legal. Guardem os e-mails e se for possível gravem as ameaças verbais, sem esquecer naturalmente de avisar que estão fazendo a gravação (gravem essa parte), pois assim após a greve há a possibilidade de se fazer uma tempestade de processos por assédio e ensinar a esses "colegas" a respeitarem os profissionais que temporariamente eles estão dirigindo.
  • Terrorismo: ameaças de corte de ponto e também através de press realese (matéria paga distribuída aos jornais); exibição dos contra-cheques com descontos, contratação de professores temporários, entrada com recurso para determinar a ilegalidade da greve e garantir o corte do ponto, etc.

Vamos nos manter firmes até a conquista das nossas reivindicações, não caminhamos tanto para desistir agora, temos que mostrar para a população a nossa indignação a nossa fibra e a nossa coragem, pois se desistirmos agora, estaremos dando à população motivos para nos desprezar e desrespeitar, pois covardes e desertores não merecem consideração. Se a ameaça do corte de ponto se concretizar e for noticiada pela mídia, seremos vistos pela população como vítimas, e com isso só teremos lucros, pois será mais uma demonstração de covardia e autoritarismo do poder público e a população, depois dessa onda de escândalos, já começa a demonstrar a sua insatisfação com a atual administração e não tenham dúvidas que rapidamente o corte será retirado.

Lembrem-se do exemplo, recente, dos Bombeiros, todas as bravatas caíram por terra, a anistia e o perdão foram concedidos, o que era algo bem mais difícil do um corte de ponto do magistério, pois no caso dos bombeiros havia respaldo legal para essa ação do governo, já no nosso caso, o corte do ponto não poderá ser sustentado, pois é de responsabilidade do Estado garantir os 200 dias letivos, pois se não o fizer estará desrespeitando a Constituição.


União, Força e Coragem! Unidos Venceremos!
 

segunda-feira, 25 de julho de 2011

O BRASIL NA VISÃO DOS AMERICANOS ( REPORTAGEM DA TV AMERICANA)



COMENTÁRIO: Este vídeo revela a visão dos americanos em relação ao Brasil. Vale a pena assistir e e observar que apesar do nosso país ser considerado uma expoente potência mundial, ele continua sendo para poucos.

Alunos da EJA não poderão renovar matrícula até a greve terminar

Retirado do site do jornal O Dia.
22.07.11
POR FERNANDO MOLICA


Rio - Alunos do EJA (Educação de Jovens e Adultos) de 285 escolas da rede estadual não poderão renovar suas matrículas enquanto não acabar a greve dos professores. Na prática, poderão ficar sem aulas a partir de agosto, quando acabar o recesso.

O problema é que nessas escolas há, pelo menos, um professor em greve e isto impede o lançamento de todas as notas finais. Os alunos do EJA, o antigo Supletivo, completam o Ensino Médio em um ano e meio — cada semestre corresponde a um ano do curso regular.

Prejudicados
A decisão de suspender a pré-matrícula foi tomada pela Secretaria de Educação e afeta 4.687 estudantes. Nas outras 271 escolas que oferecem o EJA, as aulas serão retomadas normalmente. Segundo o governo, apenas 2% dos professores aderiram à greve.
COMENTÁRIO: Se só há 2% dos professores em greve, por que suspender as matrículas?
Os alunos da EJA não estão sendo prejudicados em virtude da greve. Essas pessoas já foram prejudicadas desde que não tiveram acesso a educação no tempo oportuno, e continuam sendo pela péssima qualidade de educação que lhes é oferecida. Em muitas escolas não há professores para todas as disciplinas, mas mesmo assim no final do semestre eles são magicamente avaliados. Como? Com um tal de plano de estudo que só serve para mascarar a falta dos professores. Chega dessa falácia que greve prejudica aluno, o que prejudica aluno é o governo que não investe como deveria na educação.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Cartão Cultura Bloqueado

 

O Sepe está recebendo uma série de denúncias, via emails e telefone, de profissionais da rede estadual que não estão conseguindo realizar suas compras com o cartão cultura. Segundo estes profissionais, o saldo dos cartões - que ainda não tinham sido usados ou tinham sido usados parcialmente - está zerado desde ontem. Ciente do problema, o Sepe entrou em contato com a SEEDUC e lá, os assesores do secretário disseram que o problema era com o banco Itau. Entramos em contato com o banco e eles disseram que o problema era com a SEEDUC. Ou seja, mais uma vez, o governo estadual mostra todo o seu descaso para com os profissionais da rede estadual e, depois de fazer um grande alarde com o lançamento do cartão, agora o cartão foi bloqueado sem qualquer aviso prévio ou explicação do porquê o mesmo se encontra bloqueado.

O sindicato já enviou uma nota para a imprensa denunciando o fato e vai continuar pressionando a SEEDUC para que o problema seja resolvido no mais breve tempo possível.

Fonte: Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do RJ

quinta-feira, 21 de julho de 2011

VEJA O VIDEO: A BURGUESIA FEDE


ESTE VÍDEO É DENUNCIADOR!!!

CONTÉM IMAGENS DA NOSSA ATUAL BURGUESIA E DA LUTA DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO DO RIO DE JANEIRO.


LETRA DA MÚSICA BURGUESIA
Composição: Cazuza/ Ezequiel Neves/ George Israel
A burguesia fede
A burguesia quer ficar rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia
A burguesia não tem charme nem é discreta
Com suas perucas de cabelos de boneca
A burguesia quer ser sócia do Country
A burguesia quer ir a New York fazer compras
Pobre de mim que vim do seio da burguesia
Sou rico mas não sou mesquinho
Eu também cheiro mal
Eu também cheiro mal
A burguesia tá acabando com a Barra
Afunda barcos cheios de crianças
E dormem tranqüilos
E dormem tranqüilos
Os guardanapos estão sempre limpos
As empregadas, uniformizadas
São caboclos querendo ser ingleses
São caboclos querendo ser ingleses
A burguesia fede
A burguesia quer ficar rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia
A burguesia não repara na dor
Da vendedora de chicletes
A burguesia só olha pra si
A burguesia só olha pra si
A burguesia é a direita, é a guerra
A burguesia fede
A burguesia quer ficar rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia
As pessoas vão ver que estão sendo roubadas
Vai haver uma revolução
Ao contrário da de 64
O Brasil é medroso
Vamos pegar o dinheiro roubado da burguesia
Vamos pra rua
Vamos pra rua
Vamos pra rua
Vamos pra rua
Pra rua, pra rua
Vamos acabar com a burguesia
Vamos dinamitar a burguesia
Vamos pôr a burguesia na cadeia
Numa fazenda de trabalhos forçados
Eu sou burguês, mas eu sou artista
Estou do lado do povo, do povo
A burguesia fede - fede, fede, fede
A burguesia quer ficar rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia
Porcos num chiqueiro
São mais dignos que um burguês
Mas também existe o bom burguês
Que vive do seu trabalho honestamente
Mas este quer construir um país
E não abandoná-lo com uma pasta de dólares
O bom burguês é como o operário
É o médico que cobra menos pra quem não tem
E se interessa por seu povo
Em seres humanos vivendo como bichos
Tentando te enforcar na janela do carro
No sinal, no sinal
No sinal, no sinal
A burguesia fede
A burguesia quer ficar rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia

quarta-feira, 20 de julho de 2011

ONU reconhece crise de fome em duas regiões do sul da Somália


Comentário: "A Organização das Nações Unidas em prol do capitalismo" reconhece crise de fome na Somália? Há quanto tempo todo o mundo sabe da situação de fome e miséria que os países da África vivem? Esse sistema que vivemos é cruel e desumano, pois ele mesmo cria as mazelas e depois aparece como redentor estendendo sua mão generosa. Não haveria tamanha desigualdade social se os países capitalistas não se alimentassem da miséria dos países pobres. Propor ações assistencialistas não irá acabar com a pobreza mundial. É preciso pensar em uma melhor distribuição de renda,
para os países explorados e subalternos. A dinâmica capitalista sobrevive da desigualdade social, onde o lucro financeiro e o ajuntamento de riquezas é que o verdadeiramente importa. O bem-estar social passa ao longe das intenções de quem se favorece dessa sociedade baseada no capital, e tudo o que se faz mediante as consequências é puramente falsa generosidade de uma classe que sabe que está retendo em suas mãos toda a riqueza e que isso, consequentemente subtrairá da maioria, causando toda essa problemática. Portanto esse quadro caótico estabelecido foi e sempre será absolutamente previsto. Mas os osrganismos internacionais "fingem" atuar de maneira autruísta e humanitária mediante a fome, a miséria e a degradação humana  causados por esse vil sistema, onde coisas valem mais do que pessoas. 

EUA quer abolir letra cursiva, e Brasil já quer copiar.

Carlos Alberto Rabaça: Pedagogia do coração

Sociólogo e professor

Fonte: O dia Online

Rio - A letra cursiva, ou de mão, que se aprendia nos cadernos de caligrafia, será banida em alguns estados americanos por considerarem esta forma de escrever como ultrapassada. A decisão tem como objetivo padronizar o ensino básico nos Estados Unidos, já que quase toda a comunicação, nos tempos de hoje, utiliza letra de forma nos celulares e computadores. No Brasil, já há defensores da ideia. Temos a mania de copiar qualquer novidade sem prestar atenção às necessidades e questões fundamentais da educação.
A letra cursiva, durante séculos, marcava o processo da alfabetização e sinalizava a personalidade da pessoa. Agora, sob o peso da linguagem digital, perde seu valor. É importante o argumento de que as crianças não necessitam mais escrever com lápis ou caneta no papel? Entendo que a pedagogia moderna deveria estar preocupada com questões vitais para uma formação mais humana.
Sonho com uma pedagogia escolar que se preocupe e queira transmitir valores, formar cidadãos, deixar na lembrança de cada aluno um aprendizado que possa orientá-lo no mundo embrutecido em que vivemos. Compreendo que nossa época vive um desenvolvimento científico e tecnológico sem precedentes, mas o que as crianças e os jovens necessitam é falar de amor, ética, solidariedade, vontade, felicidade. A pedagogia moderna deveria preocupar-se em transmitir conceitos simples e de sabedoria permanente.

Sensibilizar as novas gerações para as questões éticas e morais não exige materiais caros e sofisticados, mas pede do professor algo que nenhuma tecnologia pode oferecer: o coração aberto. Nenhuma das atividades voltadas para a maquinização humana dará resultado se o professor não se portar como um mágico, um encantador, um animador das questões fundamentais da vida.

Comentário: Depois da cartilha da linguagem coloquial, surge mais um modismo à ser importado dos EUA. Educação tem que ser tratada com responsabilidade, e não ser laboratório de invencionices, que utilizam como cobaias os alunos da escola pública, pois nenhuma escola particular que se preze irá adotar esse modismo. De fato, há questões muito mais importantes à serem equacionadas  do que ficar reinventando a roda.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Ouça o discurso de campanha de Cabral Prometendo valorizar o servidor


Ouça o discurso de campanha de Cabral, quando ele prometeu valorizar o servidor público e afirmou que os gastos com a folha de pagamento são baixos.
Agora o discurso é outro!? FORA CABRAL!!!

Discurso de Cabral

domingo, 17 de julho de 2011

O que está oculto no Currículo Mínimo?


Conexão Professor (CP) – O que os alunos, professores e a rede pública estadual de ensino podem esperar do Currículo Mínimo?

Beatriz Pelosi –
O Currículo Mínimo pretende garantir que o ensino, em todas as escolas da rede, siga um padrão básico, que contemple todos os conhecimentos importantes para que o aluno tenha uma formação completa, no sentido de cumprir todos os objetivos da educação básica: preparo para o mundo do trabalho, para os estudos posteriores (universitário) e para a vida, com a sua atuação como cidadão. Com o cumprimento do Currículo Mínimo, o aluno também tem a garantia de estar sendo preparado para avaliações como a Prova Brasil e o Enem.
Os professores têm um documento básico, que orienta o seu planejamento e as suas atividades. Nesse documento, ele encontra compiladas todas as orientações e legislações, estaduais e nacionais, de forma que tem a garantia de que, ao cumprir o Currículo Mínimo, atenderá todas as diretrizes da Educação Básica. Além destas, também as matrizes de referência dos principais exames externos estão contempladas e abarcadas pelo CM.
Trecho da entrevista de Beatriz Pelosi - Diretora de Pesquisa e Orientação Curricular da Seeduc.


Nós educadores, como intelectuais, não podemos aceitar passivamente tudo que nos é dado a fazer, haja vista que somos usados pela elite, pelos donos de meios de produção (burguesia) e pelo Estado como algozes de seres humanos, como desmobilizadores de sonhos, quando nos sujeitamos a preparar nossos alunos para o tal “mercado de trabalho” e para a manutenção da desigualdade social e da dinâmica capitalista, que busca manter a massa alienada, ignorante a sua condição de sujeito autônomo, criador,  para poder explorar o trabalho braçal, sensório-motor e simples, com fins puramente lucrativos. A instituição escolar é um aparelho ideológico do Estado, de manutenção do Status-Quo, e como tal, trabalha de forma a manter a sociedade dividida em “Brasil que pensa e manda”, e “Brasil que foi formado para a servidão. Brasil que deve obedecer”.
No desenvolvimento do modo de produção capitalista, revelam-se aí essas duas vertentes representadas pelas classes sociais: a classe dominante, a burguesia detentora do capital e proprietária dos meios de produção (fábricas, máquinas, comércios), e a classe dominada, o proletário produtor, que só possui a força de trabalho, os quais são qualificados dentro das escolas gratuitas oferecidas pelo Estado. Os interesses dessas classes, sendo divergentes, só se sustentam mediante a dominação de uma classe sobre a outra. Daí a importância do aparelho escolar também como forma de perpetuação da consciência social ou ideologia e da hegemonia burguesa.    
Segundo Maria Lúcia de Arruda Aranha, em seu livro Filosofia da Educação, Louis Althusser, filósofo francês, considera que a função da escola não deve ser compreendida de forma isolada da sociedade, mas enquanto inserida no contexto da sociedade capitalista. Diz ainda que toda produção precisa assegurar a reprodução de suas condições materiais. Por exemplo, uma tecelagem, para continuar funcionando, precisa reproduzir sua matéria-prima, suas máquinas e sua força de trabalho. Por isso, fora da empresa, há o criador de carneiros, que fornece a lã, há a metalúrgica, que fabrica as máquinas, enfim. Mas onde ocorreria a reprodução qualificada (diversificada) da força de trabalho? Althusser responde: “Através do sistema escolar capitalista e outras instâncias e instituições.”
Sendo assim, ao mesmo tempo em que ensina um saber prático, elementar, rudimentar, voltado para a qualificação da força de trabalho (alguma semelhança com o nosso Currículo Mínimo?), a escola reproduz a ideologia dominante e mantém a dinâmica social cruel já citada acima, ou seja, fazer da escola pública fábrica de qualificação de força de trabalho.      

Ao analisarmos o trecho da entrevista no início de forma dialética, crítica, refletindo sobre as reais intenções, as quais nem sempre são observadas pelo senso comum, pois este não permite a visão além da ideologia apregoada pela elite burguesa dominante, focamos em algumas expressões, que nos dão a visão “panorâmica” da intencionalidade das ações, diretrizes e objetivos a serem alcançados pelo CM.

“Garantir que o ensino da Rede siga um padrão básico”- A Escola pública, empresa estatal de produção de força de trabalho, deve seguir um padrão de produção uniforme, ao melhor estilo ISO 9000, que prevê um produto final sem distorções e variações, de qualidade, onde se busca sempre as reduções de custos e desperdícios. Produzir muito a baixo custo. Essa é a missão: Reprodução qualificada e diversificada de força de trabalho barata para atender a demanda do capitalismo, da burguesia, da elite pensante.      

“objetivos da educação básica: preparo para o mundo do trabalho” – Que tipo de trabalho está em referência? O trabalho simples, que não exige intelectualidade alguma, de acordo com a definição de Marx, trabalho alienado, que não produz riqueza e nem tão pouco proveito algum para o executante, mas sim para o que se apropria deste. 

“estudos posteriores (universitário)” – Não há como dar acesso aos alunos filhos dos trabalhadores à universidade pública com a atual dinâmica excludente de acesso ao ensino superior, onde os filhos das elites ocupam nas universidades públicas o lugar daqueles que foram segregados desde o início, no ensino básico da escola pública. O que resta então aqueles que são egressos da escola pública? Engordar os bolsos dos capitalistas da educação nas universidades privadas, quando podem.

“atuação como cidadão” – Cidadão é um indivíduo que tem consciência de seus direitos e deveres e participa ativamente de todas as questões da sociedade. A idéia de cidadania ativa é ser alguém que cobra, propõe e pressiona o tempo todo. Para o educador brasileiro Demerval Saviani, ser cidadão significa ser sujeito de direitos e deveres: “Cidadão é, pois, aquele que está capacitado a participar da vida da cidade e, extensivamente, da vida da sociedade”. Há aqui uma incompatibilidade de interesses neste conceito, o que o Estado deseja é que sejamos pacíficos e dominados pelo conformismo para que não se traga incomodo algum a classe dominante.

“estar sendo preparado para avaliações como a Prova Brasil e o Enem” – Segundo Gadotti, o educador Paulo Freire desenvolveu um conceito de qualidade que se distinguia de toda a conotação neoliberal. Quando estava à frente da Secretaria Municipal de Educação de
São Paulo ele falava de uma "nova qualidade". A qualidade é todos (quantidade)
terem acesso ao conhecimento e a relações sociais e humanas renovadas. Qualidade é empenho ético, alegria de aprender. Para o pensamento neoliberal, a qualidade se confunde com a competitividade. Negam a necessidade da solidariedade. Contudo, as pessoas não são competentes porque são competitivas, mas porque sabem enfrentar seus problemas cotidianos junto com os outros e não individualmente. Não podemos educar para preparação de exames excludentes, temos que educar para contribuir para a formação humana integral, e ademais, essas avaliações somente existem com o propósito de atender às exigências dos órgãos internacionais, como: Banco Mundial, UNESCO e outros, que são instrumentos de dominação e controle das economias globais, que não tem o interesse que os países “em desenvolvimento” se tornem produtores de tecnologia, por isso, as nossas leis na área da educação estão voltadas unicamente para a educação básica para a formação de mão de obra barata.

“documento básico, que orienta o seu planejamento e as suas atividades” – O que está nas entrelinhas dessa fala é a ação de vigiar e punir, pois o professor que cumprir o currículo mínimo será gratificado, independente das necessidades ou defasagens educacionais que seus alunos apresentem. Já ouvi professores dizerem que estão cumprindo fielmente o CM, porém os seus alunos não conseguem “acompanhar” o conteúdo. É desumano instaurar uma prática onde se prioriza o cumprimento de metas em detrimento ao ser humano.

Finalmente, consideramos que o CM é apenas mais uma tentativa que já nasce frustrada pela cruel realidade do quadro educacional do Estado do Rio de Janeiro. Professores mal remunerados, escolas sucateadas, falta livros e materiais didáticos, turmas super lotadas, e a implantação de uma política de meritocracia que somente pretende criar um espírito de competição entre escolas e profissionais, são apenas alguns fatores que contribuem para esse quadro caótico. Não há e não haverá nenhum interesse da classe dominante em oferecer uma educação pública de qualidade aos filhos dos trabalhadores, o que eles desejam é educar para subalternidade para que haja a perpetuação da imensa desigualdade social existente que propicia a política de mendicância que hoje é praticada pelos homens públicos nesse país.

Danielle e André Villar

sexta-feira, 15 de julho de 2011

A GREVE CONTINUA ATÉ 03 DE AGOSTO

Fonte: SEPE
Educação estadual decide continuar a greve; professores e funcionários administrativos
estão indo para a frente da Seeduc continuar a assembleia

Cerca de 1.500 profissionais de educação das escolas estaduais decidiram agora em assembleia
 no Clube Municipal, na Tijuca, continuar a greve, que se iniciou dia 7 de junho. A categoria rejeitou
 as propostas do governo feitas ontem na audiência com o Sepe.

Ontem, na audiência, o governo condicionou a implementação de todas as propostas com o fim da greve.
Inclusive a antecipação do pagamento da parcela da gratificação Nova Escola de 2012 para 2011.
duas semanas, o secretário Risolia anunciou que esta antecipação da parcela 2012 ocorreria em
agosto, independentemente da continuação do movimento.

Os profissionais de educação estaduais estão se dirigindo, neste momento, para o Centro da cidade,
 para a Rua da Ajuda, onde vão continuar a assembleia, que estava ocorrendo no Clube Municipal,
na Tijuca.

A próxima assembleia ocorrerá dia 3 de agosto (quarta-feira). Este prazo é devido ao recesso nas
escolas estaduais em julho. Até a próxima assembleia, ocorrerão dois conselhos ampliados da direção,
 que terão o encargo de avaliar o andamento das possíveis negociações com o governo estadual. Mas,
 qualquer que seja  resultado das negociações no período do recesso, somente a assembleia geral do
dia 3 de agosto é que de decidir pelo fim da greve.

Eis as principais reivindicações da educação estadual:

1)       Reajuste imediato de 26%;

2)       Descongelamento do Plano de Carreira dos funcionários administrativos;

3)       Acerto do piso dos funcionários administrativos;

4)       Reajuste anual para toda a categoria;

5)       Incorporação imediata da gratificação do Nova Escola;

6)       Redução da carga horária dos funcionários administrativos para 30 horas;

7)       Devolução de R$ 50,00 retirados dos contracheques dos funcionários administrativos;

8)       Pagamento das dívidas de enquadramento;

9)       Suspensão do Projeto Conexão;

10)   Ato de investidura do animador cultural;

11)   Regularização das remoções de profissionais, licenças médicas e licenças sindicais;

12)   Retomada dos concursos para professores Doc II;

13)   Revitalização do Iaserj.

Cabral, os negócios em família.

Fonte: Blog de Um Sem Midia

Adriana Ancelmo Cabral – a esposa de Cabral

O escritório de advogacia, do qual é sócia majoritária, tem como clientes, empresas concessionárias de serviços públicos estaduais e outras que têm contratos de prestação de serviços com o Estado. O Metrô e a Supervia, apesar dos caóticos serviços prestados, conseguiram por intermédio de Adriana, que o marido, Cabral, renovasse por mais 30 anos os contratos de concessão. A esposa de Cabral também advoga para o Grupo Facility, do “Rei Arthur”, que tem contratos de mais de R$ 1,5 bilhão com o governo Cabral. A mulher de Cabral representa os interesses jurídicos de várias empresas que têm contratos milionários com o Estado e dependem de decisões do governador.

Mauricinho Cabral – o irmão de Cabral

Esse é um personagem que se move nas sombras, mas toda a mídia conhece muito bem, e protege por interesse próprio. É publicitário e não tem nenhum cargo no governo. Mas é ele que controla a milionária verba de publicidade e se reúne com o pessoal dos grandes veículos de comunicação. Usa a agência FSB para distribuir as verbas e comprar a blindagem do irmão Cabral.

O VICE QUE VIROU ALMA GÊMEA NOS NEGÓCIOS

Luiz Fernando Pezão – o vice-governador

É o homem que cuida das Obras do Estado e negocia os contratos milionários e está sujo dos pés grandes até a cabeça, passando pelas mãos ainda maiores, que lhe rendem o apelido de “Mão Grande”. Usa seu subsecretário, Hudson Braga para fazer a ponte com as empreiteiras, menos a Delta, que é linha direta Cabral – Fernando Cavendish. Está enrolado no TCU por conta do contrato da Delta, das obras do Arco Rodoviário. Um escândalo de superfaturamento. É o responsável pela reforma do Maracanã e vai ter que responder por que mandou pagar R$ 8 milhões à Delta antecipadamente, antes mesmo de realizar algumas intervenções previstas no contrato. Está metido numa negociata da desapropriação de um imóvel em Barra do Piraí, que pertencia à família de sua mulher, foi super avaliado e em seguida desapropriado por um valor muito acima do mercado.

OS AMIGOS E BRAÇOS-DIREITOS NOS NEGÓCIOS

Régis Fichtner – o secretário da Casa Civil

É um dos braços-direitos de Cabral desde que ele era deputado na Alerj. Responsável pelas negociatas de imóveis desapropriados do banqueiro Daniel Dantas, denunciadas pela revista Carta Capital. O banqueiro ganhou milhões graças à generosidade da caneta de Cabral negociada com Régis Fichtner. Acertou e foi o autor da chamada Lei Luciano Huck, que legalizou centenas de imóveis de luxo construídos em área de preservação de Angra dos Reis, beneficiando o apresentador e muita gente graúda. É o interlocutor com a Justiça e o Ministério Público.

Wilson Carlos – o secretário de Governo

Amigo de Cabral desde os tempos de estudante, é o homem que cuida dos negócios com os políticos. É o outro braço-direito. Cuida do toma lá dá cá de Cabral. Foi flagrado em uma investigação da Polícia Federal como possuidor de contas em paraísos fiscais na China, não declaradas.

OS SECRETÁRIOS BONS DE NEGÓCIOS

Sérgio Côrtes – o secretário de Saúde

Esse é o campeão de negócios sujos. Grupo Facility, TOESA e as ambulâncias, TCI, Barrier e os remédios. Mansão, cobertura, joalheria. Luxos milionários que não têm como ser explicados.

José Mariano Beltrame – o secretário de Segurança

Responsável pelo contrato de aluguel dos carros da PM, a negociata com a Julio Simões cujo valor pago por viatura dá para comprar duas novas por ano. Acusado por seu ex-subsecretário de fazer escutas ilegais. Numa afronta à Constituição ganha mais que ministro do STF acumulando indevidamente salário da Polícia Federal. É o responsável pela política de acordos com as milícias. Tinha como assessores de confiança um falso tenente-coronel do Exército e o miliciano Chico Bala. Abafou as investigações da corrupção na Polícia Civil descobertas pela Operação Guilhotina e com medo da ameaça de revelações do delegado Allan Turnowski, de acusador virou sua testemunha de defesa. Turnowski sabe as relações de Beltrame com as milícias, que estão por trás da farsa das UPPs.

Wilson Risolia – o secretário de Educação

O economista do mercado imobiliário que desde o início do ano toca os negócios milionários de aluguel de aparelhos de ar condicionado e outros equipamentos; além das compras superfaturadas de computadores e outros.

Julio Lopes – o secretário de Transportes

O homem que negocia com as empresas de ônibus, além do Metrô, das Barcas e da Supervia. Está por trás de toda a proteção às empresas e manda os passageiros terem paciência.

OS EMPRESÁRIOS PARCEIROS DE NEGÓCIOS

Arthur Cezar de Menezes Soares Filho

É o “Rei Arthur”, do Grupo Facility. O poderoso “Rei Arthur” vive escondido em Miami, numa mansão milionária – dizem que tem medo de ser preso no Brasil – e chegou a abrir uma filial do Porcão na cidade americana, para satisfazer seu gosto por churrasco. Tem no governo Cabral contratos de prestação de serviços que ultrapassam R$ 1,5 bilhão, muitos sem licitação. Tem funcionários terceirizados em praticamente todas as áreas do governo Cabral, além do Ministério Público e da Polícia Federal. Cabral viaja no seu jatinho e já se hospedou mais de uma vez na sua mansão de Miami.

Fernando Cavendish – Empreiteira Delta

Esse é o segundo mais poderoso empresário do grupo de Cabral pelo valor dos contratos, R$ 1 bilhão, grande parte sem licitação. Mas é o primeiro no coração de Cabral que intermediou a entrada da Delta em mais contratos milionários da prefeitura do Rio, além de outras. Está em maus lençóis depois de tudo o que está vindo à tona, por conta do acidente de helicóptero da Bahia. Segundo a revista Veja, bate no peito pra dizer que pode comprar políticos. De pequeno empreiteiro virou o campeão de obras no Rio, sob a benção do amigo Cabral, também seu vizinho do condomínio PortoBello, como o secretário de Sérgio Côrtes.

OS ALIADOS POLÍTICOS E SÓCIOS NOS NEGÓCIOS

Natalino e Jerominho – Os irmãos milicianos cassados

Um ex-deputado, o outro ex-vereador. Chefes da milícia Liga da Justiça fizeram acordo político com Cabral, que andava com eles pra cima e pra baixo e até cantou com eles num palanque na Zona Oeste. Depois foram traídos por Cabral que não confiava neles, e que usou a milícia rival de Chico Bala, por sugestão de Beltrame para destroná-los

Eduardo Paes – O prefeito do Rio

Afilhado político de Sérgio Cabral. Retribuiu o apoio do padrinho fraqueando os contratos da prefeitura aos amigos de Cabral, “Rei Arthur” (Facility) e Fernando Cavendish (Delta). Os dois multiplicaram por muitas vezes seus negócios com a prefeitura de Paes.

Jorge Picciani – O presidente do PMDB

Ex-presidente da Alerj, o homem que deu sustentação política a Cabral na, durante os quatro anos que a presidiu. Barrou qualquer tentativa de investigação. Nos bastidores tentou de todas as formas, destruir adversários de Cabral, que podiam atrapalhar os negócios. Participa ativamente do governo Cabral. A secretaria de Educação é dele, e está por trás dos contratos da compra de computadores superfaturados e de aluguel de ar de condicionado. A empresa Investiplan, que pertence a Paulo Trindade, sócio de Picciani em negócios de gado, detém mais de 90% dos contratos de informática do governo Cabral. A Investiplan também está envolvida no Mensalão do Arruda, no Distrito Federal

Paulo Melo – O presidente da Alerj

O presidente da Alerj era até o ano passado o líder de Cabral e quem comandava a tropa de choque que protegia o governador. De vendedor de cocadas virou um dos maiores milionários da Região dos Lagos, onde os contratos do governo Cabral passam pela sua negociação. É o campeão da multiplicação do patrimônio pessoal entre os presidentes de assembléias legislativas do país, segundo revelou recente reportagem. Dono de inúmeros imóveis adquiriu recentemente uma fazenda milionária em Rio Bonito e é dono de hotel, em Araruama. Segundo ele, ficou rico ganhando comissões como corretor de imóveis na Região dos Lagos.

Olha, e isso é apenas um breve resumo das participações de cada personagem. Esse é o time de Cabral que comanda o mar de lama no nosso Estado. Convenhamos que só pelo que mostrei aqui, e pelas pessoas envolvidas, da família e os principais cargos-chave do governo, o escândalo do impeachment de Collor e do Mensalão do Arruda, no Distrito Federal não chegam nem perto. Ou como definiu há algum tempo o jornalista Cláudio Humberto, os dois primeiros casos parecem “Sessão da Tarde” perto do que acontece nas entranhas do governo Cabral.

Com toda a sinceridade, depois de tudo o que mostrei, e após tudo o que já veio à tona desde o acidente de helicóptero da Bahia, quem não se indignar, não se levantar contra o governo mais corrupto da história do Rio de Janeiro e o governador que está assaltando os cofres públicos, ou está levando alguma vantagem ou é completamente alienado.

Em tempo: Depois mostrarei o segundo capítulo, detalhando os escândalos citados aqui e os valores envolvidos.

Em tempo 2: Pedimos desculpas pela demora na postagem, mas deu muito trabalho para resumir e montar. São incontáveis casos de corrupção e negociatas.”

Mais uma vez a Rede Globo tentando desmoralizar o movimento grevista


Veja no vídeo mais uma vez a Rede Globo ideologicamente tentando desmoralizar o movimento grevista dos professores do Rio e influenciando a opinião pública a associar o sindicato com política partidária. Contra fatos não há argumentos, não se pode contestar a realidade de um professor com nível universitário receber um salário de R$ 765,00. Todos já sabem das relações entre o Governador e a Rede Globo. A quem interessa o quadro de miséria que a educação pública atravessa? Culpar os professores por décadas de abandono é covardia. Alegar que não há dinheiro para a educação, não é mais desculpa.
FORA CABRAL E SEU BANDO DE ABUTRES!

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Professores Guerreiros continuam acampados em frente a SEEDUC



Professores grevistas continuam acampados em frente à Secretaria Estadual de Educação, no centro do Rio de Janeiro, na manhã desta quarta-feira (13). Eles passaram a noite no local. Segundo os organizadores, a previsão é de que eles permaneçam na porta da secretaria até quinta-feira (14), dia da nova reunião com os secretários estaduais de Educação, Wilson Risolia, e de Planejamento, Sérgio Ruy.
Durante a tarde de terça-feira (12), Risolia e um grupo de professores e sindicalistas se reuniram por cerca de três horas na sede da secretaria, após a ocupação do prédio. No encontro nenhum acordo foi fechado
Segundo informações do Sepe (Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação), os professores vão tomar café juntos em frente à secretaria e ministraram aulas ao ar livre. Os professores e profissionais do Estado estão em greve há mais de 30 dias.
Para o deputado estadual Marcelo Freixo (Psol), a situação é grave, já que o governo não ofereceu nada relevante para os grevistas.
- No que diz respeito, por exemplo, aos funcionários administrativos, todo reajuste que o governo deu não fez o piso salarial chegar nem mesmo ao salário mínimo.
Invasão
Os professores invadiram a sede da pasta por volta das 12h desta terça para exigir a reunião com o representante do governo do Estado. Policiais militares do Batalhão de Choque chegaram a lançar spray de pimenta contra os manifestantes, que, mesmo assim, conseguiram entrar.
Antes de ocuparem a secretaria, o grupo se reuniu nas escadarias da Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio) e depois seguiu em direção ao prédio onde funciona a secretaria, na rua da Ajuda.
Os profissionais reivindicam um reajuste salarial de 26%, a incorporação imediata da gratificação do Nova Escola, e o descongelamento do plano de carreira dos funcionários administrativo. Com essa reivindicação, de acordo com o Sepe, o piso salarial inicial de um professor deixaria de ser R$ 766 e passaria a R$ 1.080.

O Sepe conseguiu na Justiça uma liminar no último dia 7 que impede que o governo estadual desconte os dias não trabalhados nos salários dos profissionais de educação, que estão em greve desde o início de junho. A decisão pede também que o dinheiro, que eventualmente tenha sido descontado, seja devolvido.
Na semana passada, os professores fizeram uma manifestação que reuniu cerca de 4.000 pessoas, segundo a Polícia Militar, no Largo do Machado, na zona sul do Rio. De lá, eles seguiram até o Palácio Guanabara, sede do governo estadual, e retornaram para Laranjeiras, onde, em assembleia, decidiram manter a greve.

Nota oficialO secretário de Estado de Educação disse em nota que a invasão do prédio da secretaria foi desnecessária, pois sempre houve diálogo com a categoria.

- Desde o início da greve, esta é a quarta vez que recebemos o sindicato. Estamos abertos à negociação e ao entendimento.
No encontro, o secretário anunciou que o governo antecipará para os professores mais uma parcela do programa Nova Escola, a de 2012 para 2011, e para o funcionários técnico-administrativos, todas as parcelas restantes do Nova Escola.
O impacto estimado no valor do vencimento-base, de junho para julho, será de aproximadamente 9,2%. O salário base do docente de 16 horas semanais, por exemplo, passará de R$ 765,66 para R$ 836,10. Essas medidas beneficiarão cerca de 167 mil servidores da educação, entre ativos, inativos e pensionistas; e representarão um esforço orçamentário de R$ 711 milhões em 2011.

O secretário reforçou que foi feito o possível com o orçamento do primeiro semestre, e lembrou que foi pedido ao sindicato que aguardasse a arrecadação ao longo do mês de junho.
Comentário: Enquanto uns acampam em frente a Secretaria de Educação, outros são recebidos como bandidos e recebem spray de pimenta, ainda há uma parcela dos nossos colegas professores que continuam se escondendo atrás de inúmeras desculpas para não apoiar o movimento grevista. Colegas não grevistas, o medo é a maior arma dos dominadores para controlar os seus dominados. Não podemos mais aceitar sermos tratados como máquinas, temos que aproveitar esse momento para mostrar quem somos e porquê escolhemos ser professor.
Aos heróis que estão acampados, externo minha admiração e respeito.

O Pelego Virtual - Professor aplica prova pelo Twitter para contornar greve no Rio de Janeiro (UFRJ)

Professor aplica prova pelo Twitter para contornar greve no Rio de Janeiro
Ele limitou o tamanho da prova a três páginas por conta da liberdade que a rede dá aos alunos
Na tentativa de contornar a greve dos servidores técnico-administrativos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), um professor do curso de Relações Internacionais decidiu utilizar o twitter para aplicar sua última prova do semestre.

Sem poder entrar na sala de aula, visto que os prédios da faculdade estão fechados por causa da paralisação, e com o final do semestre se aproximando, o professor Marcelo Coutinho postou a questão da prova por volta das 17h30 do dia 28 de junho em sua conta.

“Aí vai a questão da prova de Introdução às Relações Internacionais. Uma única questão, dividida em duas partes e dois tweets seguintes”, dizia o tweet de Coutinho. Logo em seguida, veio a questão e um pedido de análise.

Em entrevista à Revista Época, o professor disse que pensou em uma pergunta mais reflexiva e complexa justamente para contornar o possível problema com a cola.

“A própria questão foi pensada para que os alunos estudassem. São três autores complexos que obrigam eles a ler os textos passados em sala de aula. E o prazo que dei para responderem a prova foi de 48 horas, que não é muito comprido”, afirmou.

A iniciativa foi bem recebida pelos alunos, que acharam a ideia de Coutinho uma grande inovação e sinal de modernidade. Segundo o professor, os alunos são todos jovens na faixa dos 20 anos, familiarizados com a internet e conectados o tempo todo.

Regras
O professor limitou o tamanho da prova a três páginas por conta da liberdade que a rede dá aos alunos para copiar trechos e pediu para que todas fossem entregues redigidas à mão e pessoalmente ou por procuração. Os alunos também concordaram com as regras.

Apesar de estabelecer que cópias comprovadas receberiam um zero, Coutinho deixou seus alunos livres para conversar entre si e com outras pessoas mais experientes. Por conta da greve, a assessoria de imprensa da UFRJ não passou uma posição sobre a iniciativa do professor.
Fonte: http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-1/artigo/professor-aplica-prova-pelo-twitter-para-contornar-greve-no-rio-de-janeiro/

Comentário: É o cúmulo um professor ter uma atitude tão individualista como essa, e o pior é que sua pobreza de espírito está sendo exaltada pela revista Época como um ato inovador.
                                                            FORA PELEGO.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Professores são recebidos com spray de pimenta na SEEDUC e Risolia negocia com o SEPE

|
Hoje, em assembéia realizada em frente a Alerj, centro do Rio de Janeiro, professores da rede estadual decidiram manter a greve, iniciada em 7 de junho.








Após a assembleia,  a categoria saiu em passeata e  decidiram ocupar a sede da Secretaria de Educação(Seeduc) exigindo uma audiência imediata dom o secretário Wilson Risolia.








O batalhão de choque da PM foi acionado e tentou dispersar os manifestantes usando spray de pimenta.
 



Segundo o Sepe, cerca de 100 profissionais de educação das escolas estaduais ocuparam neste momento a sede da Secretaria Estadual de Educação, na Rua da Ajuda, Centro do Rio. Em torno de 500 profissionais estão em frente à Secretaria, do lado de fora, aguardando as negociações. PMs do Batalhão do Choque jogaram gás de pimenta nos professores e funcionários. O carro de som do sindicato está no local e a situação é tensa.



  
FONTES:






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...